quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Se... (Hermógenes)

Se, ao final desta existência,
Alguma ansiedade me restar
E conseguir me perturbar...
Se eu me debater aflito no conflito, na discórdia...
Se ainda ocultar verdades para ocultar-me,
Para ofuscar-me com fantasias por mim criadas...
Se restar abatimento e revolta
Pelo que não consegui possuir,
Fazer, dizer e mesmo ser...
Se eu retiver um pouco mais do pouco que é necessário
E persistir indiferente ao grande pranto do mundo...
Se algum ressentimento, algum ferimento
Impedir-me do imenso alívio
Que é o irrestritamente perdoar, e mais ainda...
Se ainda não souber sinceramente orar
Por quem me agrediu e injustiçou...
Se continuar a, mediocremente, denunciar o cisco no olho do outro
Sem conseguir vencer a treva e a trave em meu próprio...
Se seguir protestando, reclamando, contestando,
Exigindo que o mundo mude
Sem qualquer esforço para mudar eu...
Se, indigente da incondicional alegria interior,
Em queixas, ais e lamúrias,
Persistir e buscar consolo, conforto e simpatia
Para a minha ainda imperiosa angústia...
Se, ainda incapaz para a beatitude das almas santas,
Precisar dos prazeres medíocres que o mundo vende...
Se insistir ainda que o mundo silencie
Para que possa embeber-me de silêncio,
Sem saber realizá-lo em mim...
Se minha fortaleza e segurança
São ainda construídas com os materiais grosseiros e frágeis
Que o mundo empresta, e eu neles ainda acredito...
Se, imprudente e cegamente,
Continuar desejando adquirir, multiplicar,
E reter valores, coisas, pessoas, posições, ideologias,
Na ânsia de ser feliz...
Se, ainda presa do grande embuste,
Insistir e persistir iludido
Com a importância que me dou...
Se, ao fim de meus dias, continuar
Sem escutar, sem entender, sem atender,
Sem realizar o Cristo que, dentro de mim eu sou...

Terei me perdido na multidão abortada
Dos perdulários dos divinos talentos.
Os talentos que a vida a todos confia.
E serei um fraco a mais.
Um traidor da própria vida,
Da vida que investe em mim.
Que de mim espera, e que se vê frustrada diante de meu fim.
Se tudo isto acontecer, terei parasitado a vida.
E, inutilmente, ocupado o tempo e o espaço de Deus.
Terei meramente sido vencido pelo fim,
Sem ter atingido a Meta.

5 comentários:

jessica disse...

Olá, faz tempo que não passo mais aqui mas é a correria danada da contabilidade. Adorei o texto!

Beijos, boa tarde,

jessica disse...

To tão lesada que respondi seu comentario no meu blog rs.
Eu li o post seu anterior de aniversário? É mesmo? Se for quero que você tem um feliz aniversário, cheio de coisas boas viu!
Se não for ta valendo o desejo por coisas boas rs.
Helo essa receita de pavê dá briga de colher pelo ultimo pedacinho! Passe seu mail que eu mando sim!
Beijo.

Haline disse...

Eu diria "sincronicidade" Helô!
E que haja, um dia, a sincronia de todo "um mundo" por seres como Hermógenes...

Adorei o visual novo do blog! Adoro mudanças!!! Parabéns!!

Thiago disse...

a meta deveria ter sido atingida!

Haline disse...

Helô, foi seu aniversário ontem mulher!!! E naquele rolo de comentários do Guaraná, eu não li isso (aliás, li hj somente).

Parabéns!!! Muita luz e que este ano venha como mais uma chance de você realizar tudo que deseja, tudo que acha necessário para você e para todos à sua volta. Que você aproveite a oportunidade de se conhecer cada vez mais e encontre tua força interior, esta força que nos traz paz e muita garra, para nos mantermos um nível de energia sempre positivo!!

Namastê minha querida!